Por que alguns aviões possuem tantos pneus?

 

Os aviões são obras realmente incríveis. Difícil imaginar que a partir dos protótipos de Santos Dumont e de Wright Brothers, nascessem esta diversa gama de aeronaves no mundo.

Cada tipo de avião possui sua característica independente para poderem exercer um trabalho especializado. E, conforme o passar dos anos, o avião foi se adaptando para diversas situações, principalmente às guerras, sendo eles otimizados para entregar mais performance, serem estáveis e perigosos.

Uma das categorias de aeronaves a mais se desenvolver, foi a classe cargueira. Podemos afirmar que o apogeu desta classe foi na época da Guerra Fria, onde o mundo conheceu o colossal AN-225, já citado aki. As motivações para a criação de tal aeronave foram a capacidade de transportar peças imensas, utilizadas em âmbito da corrida espacial, protagonizadas pela União Soviética e EUA.

No entanto, indo de encontro ao ponto, uma das grandes adaptações ao cargueiro, fora o desenvolvimento do trem de pouso.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Convenhamos que a pior parte de um voo é o pouso, certo?!. Porque, imagine o avião consegue decolar de boa, com suas centenas de toneladas, porém, e quando o avião vai pousar, imagine a quantidade de energia que é gasta para frenar um senhor avião.

Portanto, daí que vem a explicação para tal número de rodas. Elas servem para distribuir o peso do avião para não danificar a pista de pouso. Quando há um grande número de rodas, cada uma destas comporta pequena quantia de peso, trazendo muito mais segurança aos passageiros em geral.

CURIOSIDADES:

O primeiro avião a adotar este tipo de configuração, foi o bombardeiro CONVAIR XB-36.

Este mesmo possuía duas carreiras de pneu no trem de pouso principal. Dentre outros tipos de avião a possuírem tal configuração, temos os comerciais, que em sua maioria tem muitos pneus.

B-36 Peacemaker Museum