A Rendição mais inusitada da Segunda Guerra Mundial: Uboat

[sg_popup id=”3″ event=”onload”][/sg_popup]

A Segunda Guerra Mundial foi uma guerra muito tecnológica. Durante os diversos conflitos ocorridos neste período, foram testados armamentos mais sofisticados, computadores para receptação e envio de ordens, e também a inovação automotora, quanto para transporte, como também para destrinchar inimigos. Dentre esses veículos tank, havia o terror das águas, orgulhosamente chamado de Uboat.

startseite-u-995
Importante instrumento para o Eixo, os Uboats eram consignados a porem o terror no ocidente.

Fabricado na Alemanha, os Uboats tinham uma importante missão para os Eixo: Afundar qualquer embarcação que navegasse perto deles. Eficientes e com uma facilidade mecânica fora do comum para a época, os comandantes e projetistas afirmavam que era inimaginável abatê-los, pois não havia um à altura. No entanto, algo mais inacreditável aconteceu.

Dia 14 de abril, ano 1945, considerado um dia “normal” para a tripulação do U1206, foi marcado repentinamente pela surpresa e pelo desespero. A 13 quilômetros da costa escocesa, e em uma profundidade de 61 metros, o então Tenente-Capitão Karl-Adolf Schitt, foi usar o toilette do submarino sem o acompanhamento do especialista, o único que detinha as informações da embarcação, que era muito moderna.

uboat-toilet
O Uboat era muito complexo. esta complexidade se resumia de tal forma que, para realizar uma descarga, havia um procedimento específico.

E, com a ação de dar a descarga, do capitão, houve um diferencial de pressão do submarino em relação ao ambiente externo, começando assim uma inundação avassaladora e fecal. No entanto, esse era o mínimo dos problemas. Posteriormente, a inundação chegou à sala de máquinas se misturando com as baterias líquidas, formando gases tóxicos. E após, debilitados pela intoxicação, quatro submarinistas morreram, e na esperança da sobrevivência, o submarino emergiu, sendo imediatamente rendido pelos escoceses.

 

mqdefault
Dramatização do fato. Horribles Histories. CBBC