Alexandria

O filme Alexandria, no original Ágora, laçado em 2009, escrito por Alejandro Amenábar e Mateo Gil, dirigido pelo próprio Alejandro, relata um período da história de Alexandria, ressalta também a história da filosofa e professora Hipátia no Egito entre 355 e 415 d. C..

Neste período o Cristianismo ganhou grande força em Alexandria.
Hipátia ensinava astronomia, matemática e filosofia na escola de Alexandria.
Entre seus alunos estava Oreste que era apaixonado por ela. Assim como o seu próprio escravo, Davus. Entre os alunos esta também, Sinesius, que era convertido ao cristianismo.
Em Alexandria o afloramento religioso estava em evidência. A população idolatra que ali residia tinha certa aversão ao cristianismo, levando ao ponto de intolerância.
Essa intolerância acometeu uma grande revolta, onde os idolatras são expulso da cidade e o cristianismo passa a se tornar a principal religião da cidade. Nessa tomada de poder resulta na destruição da grande e famosa biblioteca de Alexandria.

alexandria

Hipátia

Hipátia e os demais idolatras fogem da cidade por decreto, mais seu escravo adepto do cristianismo, revolve alia-se ao cristão.

Davus fica em todo o tempo dividido entre a paixão por Hipátia e ao cristianismo.
Anos após da invasão Oreste se torna prefeito de Alexandria. E Cyril se torna chefe dos cristãos.
Buscando uma suposta moralidade publica os judeus posteriormente, pregava a submissão da mulher nas decisões masculina. Tentando assim sufoca a influencia de Hipátia nas decisões de Oreste.
Mesmo sob fortes pressões, Hipatia não se converteu ao cristianismo. Sendo condenada, com isso, por ateísmo e bruxaria, à pena de morte.
O filme também ressalta o importante papel de Hipátia no campo astronômico. Só depois de vários séculos, que outros cientistas conseguiram descobrir o que Hipátia já tinha descoberto em seu tempo.
Este filme é de grande valia para todos aqueles que queira aprender um pouco mais sobre o comportamento humano.