Bactérias: Como podem te prejudicar!

Bactérias são microrganismos procariontes, isto é, não possuem carioteca ou envolucro nuclear nas células, significando um dispersão de material genético no citoplasma. Quando se relaciona bactérias no dia a dia, sempre puxamos para o lado prejudicial no que se trata em ameaça ao bem estar da nossa saúde, no entanto, vale ressaltar que existe uma parcela de bactérias que ajudam na manutenção da nossa saúde, como as encontradas nos intestinos e no biofilme, envolto em nossa pele.

Então, sem mais delongas:

Bactérias

Seres unicelulares procariontes desprovidos de envoltório nuclear e RE.
FLORA ENDÓGENA (boa) X PATÓGENOS (causam doença).
• GRAM positivos ou negativos. (coloração de gram remete-se à composição da parede celular bacteriana, onde as GRAMs – não possuem uma densa camada resultando numa coloração rósea, e as GRAMs + possuem densa camada, resultando numa coloração roxa).



As bactérias possuem singularidades incríveis. Estas possuem uma porção de material genético extracromossomial, isto é, um material genético que pode ser passado para outra bactéria, através do pili sexual, conferindo ao receptor da mensagem alguma especificidade, como resistência a algum antibiótico. Outro fator importantíssimo é que estes microrganismos são oportunistas, se aproveitam de uma infecção já existente e se instalam no corpo. Um exemplo clássico disso é a evolução de uma gripe (Adenovírus) para uma pneumonia (bactéria Streptococus pneumoniae).

Além disso, quando se trata de virulência, isto significa que a célula possui mecanismos de resistência perante a resposta imune.

No geral, os microrganismos lesam o tecido do hospedeiro por 3 mecanismos:
– Dano direto
– Dano mediado por toxinas
– Dano decorrente da resposta do hospedeiro

O dano direto se trata pela localização do procarioto no tecido, como a Endocardite infecciosa, por exemplo.



Algumas células bacterianas liberam toxinas como a toxina diftérica e a toxina tetânica. Com a morte destes microrganismos, ha a liberação de PAMP’S que podem ser macromoléculas de lipopolissacarídeos presentes na parede celular.