Ejaculação precoce

Ejaculação Precoce

Estudos epidemiológicos sugerem que a ejaculação precoce (EP) é a disfunção sexual mais frequente entre os homens. De acordo com dados norte-americanos, cerca de 21-30% dos indivíduos com idade entre 18-60 anos apresentam ejaculação precoce. Apesar de bastante comum, ainda não existe uma definição universalmente aceita para EP .A Associação Americana de Urologia define ejaculação precoce como aquela que ocorre em tempo inferior ao desejado, a ou imediatamente após a penetração, acarretando constrangimento para um ou ambos os parceiros.


Classificação:

A EP pode ser classificada em duas formas:

  1. primária, quando se apresenta desde o início da vida sexual do indivíduo;
  2. secundária, quando se manifesta mais tardiamente.

Os fatores que causam ejaculação precoce ainda permanecem indefinidos e, atualmente, acredita-se que ocorra uma combinação de elementos ligados aos aspectos físico, comportamental com psicológico.

Diagnóstico:

O diagnóstico de EP é fundamentalmente clínico e baseado no histórico sexual do paciente. Deve-se ter o cuidado de diferenciar ejaculação precoce de disfunção erétil, uma vez que as duas condições estão frequentemente associadas. Uma vez que o objetivo principal do tratamento da EP é a satisfação do paciente e de sua parceira, as opções terapêuticas devem ser amplamente discutidas com o casal.

Tratamento:

Atualmente, tem ganho popularidade entre os urologistas o uso de medicações que aumentam os níveis de uma substância chamada serotonina no sistema nervoso central. Essa maior disponibilidade de serotonina está associada ao retardo da ejaculação em uma taxa elevada de pacientes com ejaculação Saúde do homem.



Outra alternativa seria a aplicação de um anestésico sobre o pênis em um intervalo de 20-30 antes da relação sexual. Embora seja efetivo, o creme anestésico pode reduzir demasiadamente a sensibilidade do pênis e resultar e perda da ereção. Alguns autores argumentam que o controle da ejaculação pode ser melhorado em cerca de 60% dos casos, com o emprego de tratamento comportamental, conhecido como pause-squeezze (pausa-aperta) proposto inicialmente por Masters e Johnson em 1970.

  1. Técnica de “start-stop”: quando o homem sentir, no período de carícias ou mesmo intercurso sexual, que está próximo do clímax deve parar de “estimular/ser estimulado” por 30 segundos; estimulação pode ser reiniciada até que chegue perto do clímax novamente, quando o “relaxamento” é repetido;
  2. Técnica de “para-comprime” (“squeeze”): durante a técnica de start-stop, a(o) parceira(o) deve exercer pressão manual na glande do pênis durante a fase de relaxamento.




Fonte:

http://aps.bvs.br/aps/como-deve-ser-feita-a-abordagem-e-o-tratamento-da-ejaculacao-precoce-em-ambiente-de-atencao-primaria-a-saude/?post_type=aps&l=pt_BR